Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Observatório Magnético de Vassouras

Observatório Magnético de Vassouras

Publicado: Terça, 13 de Dezembro de 2016, 16h17 | Última atualização em Sexta, 16 de Dezembro de 2016, 15h50

O Observatório Magnético de Vassouras (OMV), unidade do Observatório Nacional (ON) destinada ao estudo do campo magnético da Terra, completa 100 anos em 2015. Para celebrar a data, o ON promove, de 9 a 11 de novembro diversas atividades na cidade de Vassouras: palestras, visitas guiadas, observação do céu, lançamento de livro, exibição de documentário e inauguração de exposição sobre a história do OMV. 

O campo magnético da Terra, chamado campo geomagnético, é uma das mais antigas descobertas científicas. É uma das formas na qual a energia se manifesta em torno de um corpo magnetizado ou de um condutor de corrente elétrica. No caso do campo geomagnético, a sua principal fonte são correntes elétricas que fluem no núcleo externo da Terra. Este campo gerado no núcleo pode ser detectado em todo o planeta, e fora dele também, funcionando como um escudo que protege a Terra da radiação solar. 

As variações mais expressivas do campo geomagnético podem gerar problemas nas telecomunicações, na rede elétrica, aumentar a incidência de doenças de pele, entre outras consequências. Esse campo protege a Terra da radiação solar e, sem ele, a vida como a conhecemos estaria comprometida, inclusive com o desaparecimento de diversas espécies animais e vegetais. 

O Observatório Nacional foi responsável por fazer os primeiros levantamentos geofísicos do território brasileiro.

A variação do campo geomagnético é um fenômeno absolutamente natural, decorrente da dinâmica da Terra e do Sol, sobre a qual não é possível haver qualquer interferência humana. Conhecer o campo geomagnético é fundamental para compreender sua importância, seus impactos, suas variações e também para identificar as alterações naturais e diferenciá-las de outros fenômenos que podem ser provocados pela ação humana. 

Primeiros levantamentos 

O Observatório Nacional foi responsável por fazer os primeiros levantamentos geofísicos do território brasileiro. Com o objetivo de implementar um programa de observações magnéticas contínuas, em 1913 foi iniciada a instalação do Observatório Magnético de Vassouras. Em 1915, foi obtido o primeiro registro e desde então os dados sobre o campo magnético terrestre são gerados diariamente, ao longo desses 100 anos, sem interrupção. Hoje, o OMV faz parte da rede global de observatórios INTERMAGNET, que define os padrões de qualidade e orienta sobre instrumentação e aquisição de dados. Os resultados obtidos desde o início de seu funcionamento e a pesquisa científica atualmente colocam o Observatório Nacional em posição de destaque no cenário científico mundial. 

O Observatório Magnético de Vassouras integra também a Rede Gravimétrica Fundamental Brasileira (RGFB), que reúne mais de 630 estações gravimétricas de alta precisão referidas ao gravímetro absoluto instalado em Vassouras. Implantada em 1978, sob o planejamento e coordenação do ON, a RGFB provê apoio inestimável às indústrias de mineração e de prospecção de hidrocarbonetos, aos laboratórios metrológicos e a comunidade de geociências e física. 

Os 100 anos do Observatório Magnético de Vassouras representam um marco nas pesquisas geofísicas no Brasil. A reconhecida importância científica do OMV e seu valor histórico serão comemorados com atividades que valorizam este patrimônio científico e cultural. Os eventos são gratuitos e abertos a todo o público. 

Observatório Nacional 

Criado por D. Pedro I no ano de 1827, o Observatório Nacional é um ator privilegiado do desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. Como instituto nacional vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, desenvolve atividades de pesquisa nas áreas de Astronomia e Astrofísica, Geofísica e Metrologia de Tempo e Frequência, possui cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado) em Astrofísica e Geofísica, além de ser o responsável legal pela geração, conservação e disseminação da Hora Legal no Brasil. 

 

Fim do conteúdo da página