Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

REDE MAGNÉTICA DO BRASIL

Publicado: Quarta, 29 de Janeiro de 2020, 18h43 | Última atualização em Quarta, 29 de Janeiro de 2020, 18h48

Qual é a importância dos dados gerados pelos observatórios e estações magnéticas operadas pelo Observatório Nacional?

 

  1. Monitoramento da evolução temporal e espacial do campo geomagnético no território brasileiro

- Contribuem para uma melhor compreensão do funcionamento do campo magnético da Terra no Brasil e no mundo, o que é importante para diversas atividades da sociedade atual.

- O Observatório Nacional contribui com dados na região da Anomalia Magnética do Atlântico Sul (AMAS) e região do Equador Magnético, duas feições atípicas do campo magnético terrestre. A origem e consequência destes dois fenômenos magnéticos é tema de intenso debate na comunidade científica. Os dados do Brasil são ainda mais valiosos porque abrangem estas áreas onde há poucos dados magnéticos disponíveis. Com isso, o Brasil se encontra em posição mundialmente privilegiada para desenvolver estudos em geomagnetismo e avaliar os impactos para a sociedade.

 

  1. Contribuição para redes internacionais de dados magnéticos- INTERMAGNET e World Data Centers

- Pesquisas acadêmicas nacionais e internacionais utilizam nossos dados para caracterizar cada fonte do campo magnético terrestre: núcleo, ionosfera, magnetosfera, induzido e crustal. Dissertações de graduação, mestrado e doutorado utilizam nossos dados para suas pesquisas científicas.

 

  1. Uso dos dados para indústria do petróleo e mineração

- Medidas do campo magnético são utilizadas para descobrir novas jazidas e para perfuração de poços.

- Os dados do Observatório Magnético de Vassouras são especialmente importantes para as atividades de exploração e produção de petróleo nas bacias de Santos e Campos (incluindo as reservas do pré-sal).

- Os dados do Observatório Magnético de Tatuoca são especialmente importantes para as atividades de exploração e produção de petróleo nas bacias da margem equatorial brasileira.

 

  1. Contribuição para modelos geomagnéticos globais que permitem previsão do campo geomagnético para os próximos anos

- Contribuem para o desenvolvimento e atualização de modelos geofísicos, como o International Geomagnetic Reference Field (IGRF, https://www.ngdc.noaa.gov/IAGA/vmod/igrf.html). Modelos são extremamente importantes tanto para pesquisas acadêmicas quanto para atividades do setor industrial, pois permitem a separação das fontes do campo, e assim, um processamento adequado dos dados.

  1. Monitoramento do clima espacial

- O monitoramento do clima espacial é importante para a indústria espacial e suas operações, além de permitir o estudo de eventos solares catastróficos e seus possíveis impactos no Brasil.

  1. Calibração de satélites que medem o campo geomagnético

- Os observatórios e satélites são complementares e fundamentais no estudo do campo magnético da Terra. Os dados de satélites possuem uma maior cobertura espacial, entretanto permanecem em órbita por um período limitado de cerca de 10 anos. Além disso, os satélites estão sempre em movimento e em uma determinada altitude, o que torna mais complexa a análise dos dados. Já os observatórios estão em locais fixos idealmente projetados para nunca interromperem seus registros de alta qualidade. Por isso o uso conjunto de dados de observatórios e satélites são essenciais para uma melhor compreensão do campo magnético da Terra.

  1. Patrimônio histórico do Brasil

- Os levantamentos terrestres, assim como os registros antigos em papel fotográfico e os registros atuais do campo geomagnético são verdadeiros patrimônios históricos do Brasil e da ciência brasileira, visto que são realizados pelo observatório Nacional desde o século XIX. Isso configura o Observatório Nacional como uma das instituições científicas mais tradicionais e respeitadas internacionalmente.

 

DISPONIBILIDADE DOS DADOS MAGNÉTICOS DO OBSERVATÓRIO NACIONAL

 

Observatórios Magnéticos de Vassouras (VSS) e Tatuoca (TTB)

INTERMAGNET (dados digitais) : http://www.intermagnet.org/

WDC EDINBURGH (dados digitais): http://www.wdc.bgs.ac.uk/

WDC KYOTO (Imagens de magnetogramas de TTB, dados digitais ou em publicações impressas): http://wdc.kugi.kyoto-u.ac.jp/

GFZ DATA SERVICES (dados digitais de TTB): http://dataservices.gfz-potsdam.de/portal/

OBSERVATÓRIO NACIONAL: arquivos do ON, dados digitais ou publicações impressas.

 

Estações de Repetição

WDC EDINBURGH (dados digitais): http://www.wdc.bgs.ac.uk/ 

OBSERVATÓRIO NACIONAL:  arquivos do ON, dados digitais ou publicações impressas.

A tabela com todas as estações de repetição, datas e observações do campo geomagnético encontra-se no site do ON.

 

ESTAÇÕES 2019

Fim do conteúdo da página